Tarot

Jogo da mandala astrológica: como fazer?

O jogo da mandala astrológica é muito especial para saber questões relacionadas a um ciclo, normalmente um ano. Usa-se esse jogo no mês de dezembro ou janeiro, para ter uma ideia de como será o ano seguinte. Não é um jogo indicado para o consulente fazer perguntas.

Então você deve usar a mandala astrológica apenas para responder a seguinte pergunta: “quais serão as principais experiências e acontecimentos para o próximo ano?”

Cada carta da mandala astrológica é como uma casa do mapa astral e equivale a um mês. Casa casa também revela uma área da vida, de acordo com os signos e as casas correspondentes. Dessa forma, é possível ver claramente cada área da vida da pessoa, de acordo com os meses do ano e a casa que a carta se encontra. 

No início, parece ser um jogo difícil, pois requer um prévio conhecimento das casas astrológicas. Assim, temos três elementos que vão influenciar diretamente na interpretação: a casa que a carta se encontra, o signo que a carta representa naquela posição e o mês do ano que ela está mostrando. 

Achou muito difícil?

Não se preocupe que a intenção aqui é justamente simplificar para você começar a jogar para você e suas amigas. 

Acompanhe abaixo!

Como interpretar a mandala astrológica?

Conheça as casas

Os significados de cada Arcano são interpretados em relação aos atributos de cada casa. Como no mapa astral, as casas podem ser agrupadas quanto às suas qualidades. 

Desta forma, as casas angulares (1, 4, 7 e 10) indicam força positiva, ação e iniciativa. As fixas (2, 5, 8 e 11) representam força receptiva, sustentação e conservação. E, por fim, as casas mutáveis (3, 6, 9 e 12) indicam força de mudança, renovação e aprendizado.

Conheça a interpretação de acordo com o significado da casa e o mês do ano que ela representa:

  • A Casa 1. “Casa da Individualidade”. Mês de janeiro. Está relacionada à personalidade, à constituição física, à individualidade, ao pioneirismo e à aparência. Seu signo correspondente é Áries.
  • A Casa 2. “Casa dos Valores”. Mês de fevereiro. Relaciona-se ao dinheiro, aos valores materiais, aos prazeres ligados às coisas e às questões financeiras. Touro é o signo correspondente.
  • A Casa 3. “Casa da Comunicação”.  Mês de março. Está ligada à comunicação, ao lado intelectual, à educação, à interatividade, às trocas e ao comércio. Seu signo correspondente é Gêmeos.
  • A Casa 4.“Casa da Família”. Mês de abril. Relaciona-se ao lar, ao passado e à história de vida, como a infância e as raízes, ao ambiente e à constituição familiar. Câncer é o signo correspondente.
  • A Casa 5. “Casa da Criatividade”. Mês de maio. Está relacionada aos filhos, amores, ao processo de criar algo, diversões e à criatividade. Seu signo correspondente é Leão.
  • A Casa 6.  “Casa da Saúde”. Mês de junho. Relaciona-se à saúde do corpo em equilíbrio, ao cotidiano, ao trabalho rotineiro e serviços diários. O signo correspondente desta casa é Virgem.
  • A Casa 7. “Casa dos Relacionamentos”. Mês de julho. Está relacionada ao casamento e aos relacionamentos amorosos, mas também conflitos, casos na justiça e contratos. Seu signo correspondente é Libra.
  • A Casa 8 “Casa da Transmutação”. Mês de agosto. Está ligada à sexualidade, aos tabus, aos inconsciente, à morte e processos de transmutação. O signo correspondente desta casa é Escorpião.
  • A Casa 9. “Casa das Viagens”. Mês de setembro. Relaciona-se a viagens para dentro e para fora, aos ideais, à filosofia, à moral, ao ensino superior e às grandes motivações. Seu signo correspondente é Sagitário.
  • A Casa 10 “Casa da Honra”. Mês de outubro. Relaciona-se à carreira, ao prestígio social, à elevação social, à vida profissional, ambição e empreendimentos. Seu signo correspondente é Capricórnio.
  • A Casa 11 “Casa da Inovação”. Mês de novembro. Está relacionada às amizades, aos planos para o futuro, a inovações tecnológicas, esperanças e originalidade. O signo correspondente desta casa é Aquário.
  • A Casa 12 “Casa da Espiritualidade”. Mês de dezembro. Relaciona-se aos sacrifícios, a abnegação, o fim para o novo começo, ao desapego, à espiritualidade, à empatia, o Amor Universal e ao altruísmo. Seu signo correspondente é Peixes.

As casas astrológicas são muito parecidas com os quatro naipes do Tarot, e também se agrupam em relação aos seus elementos: 

Casas de Fogo: As casas 1, 5 e 9 representam otimismo, competição, impulsividade, força de vontade, iniciativa e entusiasmo. 

Casas de Terra: As casas 2, 6 e 10 representam perseverança, sensualidade, prosperidade, poder, firmeza, praticidade e resistência. 

Casas de Ar: As casas 3, 7 e 11 representam ideias, estudos, comunicação, ideais, ciência, pensamento, clareza, pesquisa, leveza e inovação. 

Casas de Água: As casas 4, 8 e 12 representam emoções, sentimentos, intuição, receptividade, abundância, fluidez, afeto, acolhimento.

Como jogar e interpretar a mandala astrológica?

Para compreender a mensagem integral, interprete primeiramente cada carta na sua

respectiva posição no círculo. Nessa primeira rodada, algumas mensagens podem parecer vagas ou difusas.

Em seguida, observe possíveis relações entre as cartas e as casas astrológicas, o que lhe possibilitará uma interpretação mais completa e profunda.

Vamos agora montar a Mandala Astrológica:

  1. Pegue o maço de cartas, corte-o e retire 12 cartas.
  2. Distribua em círculo com 12 casas e 12 cartas.
  3. Coloque a primeira carta colocar na casa 1, a segunda carta na casa 2 e assim sucessivamente até chegar na última casa que é a casa 12.
  4. Por último, coloque uma carta no centro, que é a carta 13.

Significado da última carta

A carta número 13 representa o próprio indivíduo no centro da mandala astrológica.  Ela é colocada no final, depois de as doze posições zodiacais já terem sido preenchidas 

A última carta, também chamada de quintessência ou síntese, representa exatamente como imaginamos uma pessoa no centro do sistema solar na hora do seu nascimento, com todos os planetas interagindo com ela ao seu redor, formando uma espécie de unidade, ou sincronicidade. 

Essa carta apresentará a direção interior do consulente ao longo do ciclo de um ano. Digamos que indicará o estado de espírito que a pessoa assumirá durante todo o novo período. Os demais arcanos nas casas precedentes revelarão o desenvolvimento dos setores, de acordo com as casas em que cada carta se encontra.

Quando posso usar o jogo da mandala astrológica?

Embora esse jogo seja muito procurado em dezembro ou janeiro para definir um ciclo de um ano novo, você pode utilizá-lo em qualquer época do ano. Só deve lembrar-se de que, como é um jogo que fala de fases e ciclos, ou seja, é um jogo que revela o que é temporal, o jogo vai continuar mostrando um período de doze meses. 

Digamos que você fez o jogo da mandala astrológica no mês de maio. Logo, a casa número 1 estará falando do mês de maio, a casa 2 do mês de junho e assim por um período de um ano até chegar a maio do ano seguinte.

Algumas pessoas utilizam o jogo da mandala astrológica no mês em que fazem aniversário. Por exemplo, se você faz aniversário em março, seu mês 1 e a casa 1 vai corresponder ao mês de março, a casa 2 ao mês de abril e assim, também teremos um ano, de acordo com a revolução solar da pessoa.

Neste jogo não se devemos fazer perguntas pessoais, ele serve apenas para responder: como estará a minha vida no prazo de um ano?

Gostou das dicas?

Então não deixe de praticar e montar a sua mandala astrológica!

Dúvidas ou sugestões, me escreva nas redes sociais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *